NOTICÍAS

FURTO DE COLMEIAS

 

Nove colmeias em esferovite, da empresa Apisantos, foram furtadas entre os dias 22 e 26 de janeiro. Empresa oferece recompensa a quem as localizar ou tenha informações verídicas sobre o seu paradeiro.

 Em oito anos, esta é a terceira vez que a empresa Apisantos, sediada em S. Mamede do Coronado, é alvo da visita dos amigos do alheio.

O alvo dos assaltantes foram nove colmeias de abelhas em esferovite, “relativamente novas” e com “estrados especiais”. Os responsáveis deram pelo furto no dia 26 de janeiro, quando realizaram a habitual visita às colmeias.

O furto terá acontecido entre os dias 22 e 26 de janeiro, correspondente ao intervalo de dias em que decorreram as visitas às colmeias. Estas estavam situadas na zona industrial do Soeiro, em S. Mamede do Coronado.

 Segundo informação de um dos proprietários, da empresa Apisantos, nestes últimos tempos não notava “nada de diferente”, visto que há já “quatro anos” que não não era alvo de furtos.

Acredita ainda que quem as roubou, tinha como intuito vende-las. “Se alguém adquiriu à volta dessa quantidade de colmeias, provavelmente devem ter sido vendidas por alguém que mas roubou”, afirmou.

Por precaução, a empresa já “investiu um bom bocado de dinheiro” e colocou “chips, que fazem parte de um sistema GPS anti-roubo”, para detetar “futuros acontecimentos e descobrir para onde elas foram levadas.”

A empresa está a oferecer uma recompensa a quem as localizar. “Se a informação for verídica e se recuperarmos as colmeias, damos um prémio”, explicou.

Caso tenha alguma informação sobre o paradeiro das colmeias ou tenha notado algo de diferente entre os dias acima mencionados, contacte Artur Santos, através do número 965 008 850, ou Fernando Santos, através do número 963 419 606.

Ano Internacional das Florestas a Forestis

 

No Ano Internacional das Florestas a Forestis, a Universidade Católica, a Área Metropolitana do Porto e a Quercus, juntamente com outros parceiros do CRE_PORTO, organizou três cursos práticos para os cidadãos que queriam conhecer a história das nossas florestas, aprender a identificar espécies de árvores autóctones e a conhecer os benefícios ambientais, sociais e económicos das áreas florestais. Os participantes reconheceram que a floresta é um ecossistema complexo e um recurso natural e renovável, participando ativamente na proteção e promoção dos bosques autóctones da AMP. 

Participaram mais de 100 pessoas e destas, 49 receberam o certificado de Embaixadores da Floresta nos três roteiros de formação que incluíram palestras, visitas guiadas, atividades de campo e degustação de produtos florestais.

A 1ª Edição decorreu nos dias 17 e 24 de setembro na Maia e Santo Tirso, respetivamente. Os 23 Embaixadores da Floresta debateram vários assuntos atuais sobre a floresta portuguesa e o setor florestal, a importância ambiental, económica e social da floresta, o seu papel na mitigação das alterações climáticas, o papel do cidadão na defesa da floresta, provaram deliciosos pratos feitos com produtos florestais, chegando mesmo a preparar pão de bolota. Além disso, tiveram oportunidade de realizar um percurso de identificação de árvores e arbustos, recolher, propagar e a plantar sementes de espécies autóctones e visitar uma das áreas a reflorestar no Projeto 100.000 árvores. 

Na 2ª Edição desenvolvida nos dias 15 e 22 de outubro em Castelo de Paiva e no Jardim Botânico do Porto, participaram 40 pessoas interessadas em aprender mais sobre a floresta portuguesa através de diversos debates e experiências práticas e, destes, nomearam-se 11 Embaixadores da Floresta. Foram muitas as atividade desenvolvidas, como, erradicar espécies invasoras, recolher e germinar sementes, plantar árvores autóctones, conhecer tecnologias (naturais) inovadoras para que as árvores cresçam mais depressa em solos ardidos, conhecer o impacto dos nossos hábitos de consumo na conservação das florestas, provar mel e conhecer o sítio Rede Natura 2000 - Rio Paiva. Esta ação contou a com a colaboração da Associação Florestal do Vale do Sousa.

Nos dias 5 e 12 de novembro, decorreu a 3ª Edição na Trofa e em Valongo. Os 15 Embaixadores da Floresta, debateram a importância da ação individual na conservação das florestas, realizaram um workshop sobre sementeira e conservação de sementes de árvores autóctones e visitaram a Melaria Apisantos onde descobriram o maravilhoso mundo do mel. Esta edição culminou com a plantação de 250 árvores em Valongo.